posicaoSaudações! Esse artigo pretende dar sequência às minhas reflexões sobre as matrizes do xadrez. Foi usado o termo matrizes, que deriva da matemática, mas talvez se pudesse usar também sem perda de significado a expressão “lógicas de pensamento”, visto que suas manifestações ocorrem em nossa mente primeiro, e só depois no tabuleiro.

Como o seu nome sugere, o fundamento dessa matriz, ou simplesmente, dessa lógica de pensar no xadrez, está na posição. O objetivo de dar o xeque mate ao rei não deixa de existir, mas ele não é visto como algo a ser alcançado imediatamente. Nessa lógica de pensar há outros objetivos que vêm primeiro. Eles podem ter a ver com o centro, as filas e colunas como na matriz estratégica, podem ter a ver com sacrifícios como na matriz tática e até com cálculos, como na matriz realista, mas os seus fundamentos se baseiam na posição.

Espero não estar confundindo meus leitores com as minhas mal traçadas linhas, mas o fato é que essas quatro matrizes estão intimamente relacionadas entre si e, por vezes, os movimentos no jogo podem ser tão profundos e complexos que possuam ideias de todas elas em si. Normalmente quando isso acontece estamos diante de um movimento extraordinário, revolucionário e vencedor.

Seguindo nossas reflexões, vamos tentar compreender o que poderia ser esse fundamento posicional. Nessa lógica de pensar, você joga a posição e nada mais. Simplesmente isso! A posição que te expõe os teus desafios e as tuas tarefas. Entretanto, identifica-las nem sempre é fácil e mesmo os GMs por vezes se atrapalham, claro que com muito menos frequência que nós. Para compreender essa matriz é fundamental saber observar e descrever uma posição de forma abrangente, pois numa mesma posição você pode ter o seu rei exposto, ter peças vulneráveis a ataques táticos e ter uma ameaça de mate em 2 ou 3 a seu favor, por exemplo. Há posições no xadrez, em determinados momentos do jogo em que a sorte será decidida por um lance, portanto, é matar ou morrer.

Nessa linha de raciocínio, observe essa posição extraída de um exercício do site http://www.chessgym.net:

posicional

Talvez a sua primeira ideia ao visualizar essa posição tivesse a ver com tentar dar um mate, ou capturar peças e produzir vantagens a seu favor. Isso não está errado, mas considerando que estamos falando da matriz posicional talvez suas preocupações pudessem ser outras. O melhor movimento a ser feito aqui, segundo o engine, é posicionar a torre na casa “b3”. Esse seria um movimento tipicamente posicional, mas que pode ter relações com outras matrizes também. Mas qual o fundamento desse movimento? Simples! Observando a posição, nota-se que as estruturas de peões, ao menos onde os reis estão posicionados, estão com algumas debilidades, principalmente no lado negro, que possui peões dobrados. Ambos os lados possuem duas peças médias, mas de qualidades diferentes e dois peões passados. Observem o posicionamento do bispo negro de casas brancas, ele já monitora o potencial avanço do peão passado branco na coluna “b”, mas isso o torna pouco ativo no que se refere a atacar o oponente. O cavalo branco não tem quem o defenda, assim como o peão passado negro em “c4”. Isso sugere, que a próxima jogada branca seja a captura desse peão com a torre e, isso imediatamente inviabiliza a ideia de ameaçar o cavalo branco com a torre negra. Esse mesmo bispo encontra-se indefeso e caso a torre branca capture o peão “c4” seria ameaçado. Então estamos falando de duas ameaças: uma concreta, que é o peão passado e, outra subjetiva que é o ataque ao bispo após a captura do peão passado negro.

Se feita a escolha pelo movimento sugerido pelo engine, o que se seguirá tem a ver com os cálculos da matriz realista e jogadores iniciantes, como eu próprio, normalmente não estão acostumados com essas lógicas de pensamento e estranham muito as posições que dela resultam. Como veremos posteriormente no artigo sobre a matriz realista, seus cálculos têm muito a ver com o direcionamento futuro da partida e isso será possível verificar na solução desse exercício que eu posto a seguir. Trata-se de uma luta que inicia com a captura dos peões passados e depois segue com o objetivo de ativar os reis e as outras peças médias. A descrição e a análise da posição sugerem que essas sejam as suas principais tarefas, portanto pode estar atrelada a matriz posicional uma lógica de eliminar a principal ameaça adversária primeiro, e depois melhorar nossas peças. Suas ações são sempre graduais e não pontuais e instantâneas como na proposta da matriz tática.

Visualize no seu tabuleiro a sequência de cálculo da posição que foi trazida aqui. É a vez das negras e a melhor combinação é: 1 Rb3 Rxc4; 2 Rxb6 Kf2; 3 Bd7 Rc2; 4 Ra6 Nc3; 5 Ra3 Nb1; 6 Ra5 Nd2; 7 Ke7 Nc4; 8 Rc5.

A situação agora ficou assim, com o engine apontando uma diferença de +0,26 para as negras:

posicional2

Há quem prefira jogar sempre dessa forma, assim como há quem prefira a matriz tática, por exemplo, ou outra qualquer, mas um bom jogador tem que conhecer bem os fundamentos de todas as matrizes e desenvolver um feeling de quando é melhor fazer seus lances sob a orientação de cada uma delas. Geralmente, uma boa diretriz é você iniciar sua tomada de decisão pela matriz posicional e ficar atento a todas as outras, pois se houver um lance mais eficiente que se baseie em outra matriz você vai estar atento para percebê-lo e então escolhê-lo e jogá-lo. Minha dica, que você verá com mais fundamentos nos artigos de cálculo que este blog trará em seguida, é que você busque ao menos três propostas antes de decidir por uma delas. Contudo, se você quiser já ir se ambientando leia o artigo sobre cálculos da sessão reflexões.

#pensenisso!

Movam seus peões!

Alexandre Herzog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s